terça-feira, 5 de junho de 2012

Sem a música, a vida seria um erro!


Essa frase é do filósofo alemão Friedrich Nietzsche, ela transmite meu sentimento em relação a música.
Hoje meu dia começou diferente, fui a uma sessão de acupuntura, que eu adoro, super relaxante, sai de lá mais leve e renovada, mas o mais surpreendente aconteceu quando entrei no ônibus com destino ao meu trabalho e me deparei com um senhor, aparetando uns 70 anos de idade, negro, cabelos brancos, semblante amigo, tocando violão e cantando lindas músicas antigas, do meu tempo de criança, músicas de verdade, de raíz, deleitei-me com aquele momento!
Senti uma sensação de prazer incrível ao escutar aquela voz vivida cantarolando no coletivo, um momento raro e inesquecível!
Costumo dizer que sem a música nossa vida seria em preto e branco, parece frase comprada, mas é verdade, a música dá cor à vida!
Adoro cantar, embora não seja muito boa fazendo isso! E daí, posso cantar no chuveiro!
Quando escuto uma boa música como aconteceu hoje, sinto saudade de alguma coisa boa, não sei ao certo o que é, acho que é saudade de algo que eu nunca tive ou nunca terei.
A música tem um poder tão grande que hoje é reconhecida uma forma de terapia que utiliza a música para ajudar no tratamento de problemas, tanto de ordem física quanto de
ordem emocional ou mental, a musicoterapia.
Sendo inerente ao ser humano, a música é capaz de estimular e despertar emoções, reações, sensações e sentimentos.Qualquer pessoa é susceptível de ser tratada com musicoterapia. Ela tanto pode ajudar crianças com deficiência mental, quanto pacientes com problemas motores, aqueles que tenham tido derrame, os portadores de doenças mentais, como o psicótico, ou ainda
pessoas com depressão, estressadas ou tensas. Tem servido também para cuidar de aidéticos e indivíduos com câncer. Não há restrição de idade: desde bebês com menos de um ano até pessoas bem idosas, todos podem ser beneficiados.
Um estudo realizado em Taiwan, uma República da China, indicou que gestantes que escutaram trinta minutos de música todos os dias durante duas semanas reduziram, e muito, os sintomas de depressão, estresse e ansiedade em comparação às gestantes que somente fizeram o pré-natal sem a intervenção da música.
Outros estudam indicam que uma música que a mamãe escute durante a gestação com freqüência e seja prazerosa e agradável faz com que o bebê, mesmo após o nascimento, ao ouvi-la a reconheça e se tranqüilize com o som que também já o agrada.
Comigo a música tem o poder de cura também, quando não estou bem coloco uma música bem triste choro muito e algumas horas depois jé estou curada. O contrário também dá certo, colocar uma música bem animada, dançar muito, e com certeza me sentirei melhor!!
Um dia bem musical a todos!!!