terça-feira, 3 de julho de 2012

Meu filho é adolescente, e agora?

As alterações hormonais típicas da adolescência trazem uma série de mudanças comportamentais.

A adolescencia é a fase mais ambivalente e vulnerável pela qual passa o ser humano.

É a época em que ocorre a busca pela sua identidade ( a busca do eu ), a sexualidade, as responsabilidades.

Uma fase de transição entre a infância e a juventude.

Eles não são jovens adultos. Suas necessidades, inclusive as emocionais, são infantis.
Um dos erros mais comuns dos pais, professores e outros, com respeito aos adolescentes, é considerá-los como pequenos adultos.
E não são poucos os pais que hoje em dia, negligenciam as necessidades infantis de seus filhos adolescentes como: sentir amor e aceitação.
De serem cuidados e de saber que alguém gosta realmente deles.

Nossos filhos precisam de amor incondicional, ou seja, precisam de amor, independente da forma que se portam, ou do que digam.

Eles precisam de contato visual e físico, não basta eles saberem que nós os amamos, precisamos demonstrar sempre, mesmo que eles recusem, podemos acariciá-los enquanto dormem.Mesmo que ele não tenha consciência de seu toque, ainda assim, estará registrando tudo. O efeito é ajudá-lo a sentir: "Meus pais me amam e se importam comigo, mesmo quando relacionar-me com eles e difícil para mim". A criança ou o adolescente que cresce num lar em que os pais usam contato visual e físico irão sentir-se à vontade consigo mesmos e com outras pessoas.

A formação de valores e espiritualidade também são de suma importância.A geração de adolescentes em nossos dias é muitas vezes chamada de "geração apática". Muitos deles são realmente apáticos, em especial no que se refere ao futuro. Quantos desses jovens carecem da vitalidade, vivacidade e entusiasmo. Penso que um dos principais motivos que tem contribuído para que os adolescentes não tenham atitudes positivas é que nós não estamos transmitindo a eles determinação, esperança e encorajamento necessário para enfrentar o futuro.Uma das maiores solicitações dos adolescentes hoje é que os pais lhes forneçam sistemas de valores éticos e morais para guiá-los, para que eles saibam que rumo seguir em sua vida. Daí, a necessidade da orientação espiritual, que vai orientar o adolescente no mundo de hoje.

Perceber que temos que ser firmes nos princípios essenciais e relevar outras questões, como forma de negociação, é fundamental. Assim, é obrigatório ir para a escola, respeitar os pais e professores, mas é permitido perguntar os porquês das medidas. Conheço o caso de um menino que foi expulso da escola pública porque perguntou para a professora de química, para que aquela reação “exotérmica” servia na vida dele. Acho que a professora não sabia responder e ficou tão ofendida que expulsou o aluno, com a anuência da coordenadora. Isso não pode. Essa não é a melhor forma de conduzir um comportamento contestador.

É preciso que nós, adultos, deixemos os jovens experimentarem, mas é bom estarmos vigilantes para que as experiências não os prejudiquem. Para que eles não passem por caminhos sem volta ou por caminhos que os marquem para sempre. Por isso, não é bom expulsar os filhos de casa, ou dizer que não vamos socorrê-los quando houver alguma implicação mais séria, na escola ou na polícia. Eles ainda são crianças, apesar de não reconhecerem. Tudo faz parte deste projeto de experimentação pelo qual o jovem passa. E passa. Depois ele amadurece.
Selecionei um filme que achei muito interessante, ele mostra esse universo adolescente do ponto de vista deles.
Mas vale lembrar que também já fomos adolescentes!!!



Se gostou, divulgue para seus amigos!
Um abraço!
Bianca Gabriela.